Cursos

Psicanálise, Assistência Social e Saúde Mental: a finalidade da escuta psicanalítica nas instituições | Quartas-feiras | Janeiro de 2019 | 19h


CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER

O objetivo do curso é introduzir os conceitos bases para a sustentação da escuta psicanalítica nas instituições socioassistenciais e de saúde mental, articulando uma discussão que abranja os aspectos teóricos e clínicos do trabalho do psicanalista.

Este curso é resultado das discussões e elaborações do grupo de estudos “Psicanálise e Assistência Social: a escuta clínica em serviços socioassistenciais” realizado durante o último semestre de 2018. Com este curso, visamos apresentar os principais pontos trabalhados durante o grupo de estudos, avançando em pontos que nos permitam sustentar a escuta psicanalítica nas instituições com maior precisão e efetividade.

O curso se divide em quatro tópicos:

1) O inconsciente como discurso do Outro

Abordaremos como os discursos familiares e sociais são decisivos para constituição do sujeito e, mais importante, como tais discursos podem produzir diferentes formas de sofrimento quando o sujeito se encontra submetido a eles em determinadas modalidades.

2) Introdução sobre a finalidade da escuta psicanalítica

Partindo da discussão sobre os discursos que submetem o sujeito, trazendo efeitos de apagamento do desejo, pretende-se apresentar uma introdução da finalidade da escuta psicanalítica, caracterizada justamente pelo desvelamento dos diversos aspectos dos discursos e a posição assumida pelo sujeito.

3) A finalidade da escuta psicanalítica nas instituições: política, estratégia e tática

A concepção apresentada da finalidade da escuta psicanalítica será discutida de maneira específica no contexto institucional desde os conceitos lacanianos de política, estratégia e tática.

4) Introdução a problemática do diagnóstico estrutural em psicanálise nas instituições

A finalidade da escuta psicanalítica será pensada considerando os diagnósticos estruturais – neurose e psicose – visto que há diferenças importantes no manejo clínico a depender da estrutura.

Quando: às quartas-feiras, das 19h às 21h.

Datas: 09, 16, 23 e 30 de janeiro de 2019.

Investimento: R$200 (o pagamento via transferência ou depósito bancário deverá ser realizado até 04/01/2019).

Inscrição: preencha o formulário de inscrição. Após o preenchimento, será enviado um e-mail ao participante com as instruções para o pagamento do curso.

Onde: Rua Itapeva, 202, conjunto 59 – próximo ao metrô Trianon-Masp.

Para quem: psicanalistas em formação, psicólogos, estudantes de psicologia e profissionais interessados no estudo da psicanálise.

Coordenadores:

Christopher Rodrigues Anunciação: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestrando em Psicologia Clínica (IP-USP). É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalha em consultório particular e como acompanhante terapêutico. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAICA) e Núcleo de Proteção Jurídica e Apoio Psicológico (NPJ). Desenvolve pesquisa acadêmica sobre o trabalho do psicólogo e do psicanalista em serviços de acolhimento institucional para crianças e adolescentes.

Gabriel Bartolomeu: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestre em Psicologia Clínica (IP-USP). É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalhou em instituições de saúde mental e de assistência social e, atualmente, atende em consultório particular e coordena grupos de estudos sobre a obra de Jacques Lacan. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em núcleo de convivência de idosos, serviço de internação psiquiátrico, hospital-dia, ambulatório de saúde mental e acompanhamento terapêutico. Realizou pesquisa acadêmica sobre o trabalho do psicólogo e do psicanalista na Política de Assistência Social.




Psicanálise e Instituição: o trabalho das equipes técnicas na Assistência Social e na Saúde Mental | Terças-feiras | Julho de 2019 | 19h


O objetivo do curso é realizar uma discussão teórica e prática acerca do trabalho das equipes técnicas em serviços socioassistenciais e de saúde mental, introduzindo uma formalização a partir das problemáticas: como lidar com as demandas institucionais? Como realizar o trabalho em equipe? Como construir os casos e seu manejo? Como elaborar dispositivos grupais de convivência? Este curso é resultado das discussões e elaborações do grupo de estudos sobre a temática que vem sendo realizado desde o mês de agosto de 2018, bem como das pesquisas acadêmicas dos coordenadores. Visamos apresentar os principais pontos trabalhados durante o grupo de estudos, avançando em pontos que nos permitam sustentar um trabalho orientado pela psicanálise nas instituições com maior precisão e efetividade. O curso está dividido em quatro encontros: 1) O lugar do profissional na instituição: identificação das demandas e respostas possíveis Nesse encontro trataremos da instituição desde a sua constituição nos discursos que a formam. Abordaremos, através da teoria institucional, quais são os atravessamentos que capturam os profissionais no cotidiano institucional, as implicações disso no trabalho e como é possível manejá-los no dia-a-dia. 2) O trabalho em equipe: construindo uma prática compartilhada A partir da discussão de diversos autores sobre o trabalho em equipes, discutiremos a diferença entre entrada e inserção do profissional na equipe institucional e como, a partir dessa entrada, é possível desenvolver o trabalho de escuta dos diversos profissionais. Nesse sentido, trataremos da construção da reunião de equipe, condução dessas reuniões dentro do serviço e como construir o trabalho intersetorial na rede de serviços. 3) A construção do caso: realizando um trabalho que considere a subjetividade Nesse encontro trataremos da diferença entre caso social e caso individual, elucidando a construção dessas duas formas de caso, sendo o primeiro, ligado às condições materiais e sociais e, o segundo, aquilo que é possível produzir a partir da escuta dos usuários/atendidos nos diferentes serviços. A partir disso, será discutido como o profissional pode articular essas duas construções na produção de suas intervenções no serviço, desde aquelas construídas no âmbito institucional, até a escolha dos encaminhamentos, preparação para o desligamento do serviço, entre outros. 4) A sustentação de dispositivos grupais: preservando vínculos e promovendo a convivência Aqui serão apresentadas quais as intervenções possíveis a partir das noções de construção e preservação de vínculos e de convivência. Considerando a convivência como uma intervenção possível, delinearemos estratégias com grupos na Proteção Social Básica, Proteção Social Especial e na Saúde Mental que leve em conta as especificidades e necessidades dos casos que se apresentam nos serviços. Quando: às terças-feiras, das 19h às 21h. Datas: 09, 16, 23 e 30 de julho de 2019. Investimento: R$200 (pelos quatro encontros). Inscrição: https://forms.gle/6NVENMrqPeRT9M259. Após o preenchimento do formulário, responderemos com as instruções para o pagamento do curso que deverá ser feito via depósito ou transferência bancária. Onde: Rua Itapeva, 202, Bela Vista – próximo ao metrô Trianon-Masp. Para quem: psicanalistas em formação, psicólogos, estudantes de psicologia e profissionais interessados no estudo da psicanálise. Coordenadores: Christopher Rodrigues Anunciação: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestrando em Psicologia Clínica (IP-USP). É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalha em consultório particular e como acompanhante terapêutico. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAICA) e Núcleo de Proteção Jurídica e Apoio Psicológico (NPJ). Desenvolve pesquisa acadêmica sobre o trabalho do psicólogo e do psicanalista em serviços de acolhimento institucional para crianças e adolescentes. Gabriel Bartolomeu: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestre em Psicologia Clínica (IP-USP). É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalhou em instituições de saúde mental e de assistência social e, atualmente, atende em consultório particular e coordena grupos de estudos sobre a obra de Jacques Lacan. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em núcleo de convivência de idosos, serviço de internação psiquiátrico, hospital-dia, ambulatório de saúde mental e acompanhamento terapêutico. Realizou pesquisa acadêmica sobre o trabalho do psicólogo e do psicanalista na Política de Assistência Social. visamos apresentar os principais pontos trabalhados durante o grupo de estudos, avançando em pontos que nos permitam sustentar a escuta psicanalítica nas instituições com maior precisão e efetividade.




Psicanálise e Assistência Social: o trabalho do psicólogo em serviços socioassistenciais | Sábado | 01 de Fevereiro de 2020 | 9h - 16h30


O objetivo do curso é realizar uma discussão teórica e prática acerca do trabalho do psicólogo em serviços socioassistenciais, considerando a escuta dos usuários e profissionais dos serviços, a interdisciplinaridade nas equipes técnicas, a produção de documentos e relatórios e a construção do caso no contexto institucional. Esse curso é resultado das pesquisas acadêmicas dos coordenadores sobre o tema, do estudo desenvolvido nos grupos de estudos e cursos sobre o trabalho na Assistência Social e das supervisões realizadas com equipes nos serviços socioassistenciais. Será apresentado os principais pontos trabalhados nas diferentes intervenções, avançando em pontos que nos permitam sustentar um trabalho orientado pela psicanálise nas instituições com maior precisão e efetividade. O curso está dividido em quatro tópicos: 1) O trabalho do psicólogo na assistência social: a escuta da subjetividade A partir da hipótese de que o trabalho do psicólogo nos serviços socioassistenciais tem como objetivo a escuta da subjetividade, será realizada uma discussão teórico-prática sobre os conceitos de escuta e de subjetividade e, a partir disso, como tais conceitos podem ser utilizados como operadores no cotidiano da atuação deste profissional. 2) A interdisciplinaridade no trabalho entre psicólogos e assistentes sociais Considerando o necessário trabalho em equipe a ser realizado pelo psicólogo na assistência social, apresentaremos o conceito de interdisciplinaridade e como ela pode ser colocada em ação na relação com o (a) assistente social e com outros profissionais, visando a construção de uma prática coletiva. 3) A construção do caso no contexto institucional A construção do caso no contexto institucional é um processo decisivo para se elaborar intervenções multiprofissionais e para se produzir intervenções junto aos usuários, assim, será realizada uma discussão visando demonstrar como essa construção pode ser feita em conjunto com outros profissionais. 4) A produção de relatórios e documentos na assistência social Os relatórios e documentos são os registros de avaliações e de intervenções realizados pelos psicólogos nos serviços socioassistenciais, sendo de suma importância a forma como são redigidos e as informações contidas neles, pois, tem influência direta sobre a vida dos usuários dos serviços. Deste modo, o nosso objetivo é apresentar o que são esses relatórios e documentos e, considerando as discussões anteriores, propor uma maneira de elaboração clara, efetiva e ética. Quando: sábado, 01 de fevereiro de 2020, das 9h às 16h30. Carga horária: 6h30. Investimento: R$200 (pagamento via depósito ou transferência bancária). Inscrição: acesse o formulário de inscrição: https://forms.gle/spsqY5CwRBfqNwD3A. Após o preenchimento será enviada as orientações de pagamento por e-mail. A inscrição só será considerada após a realização do pagamento até 24 de janeiro. Vagas limitadas. Não haverá devolução do pagamento em nenhuma hipótese. Onde: Rua Itapeva, 202, Bela Vista – próximo ao metrô Trianon-Masp. Para quem: psicanalistas em formação, psicólogos, estudantes de psicologia e profissionais interessados no estudo da psicanálise. * Será emitido certificado. Coordenadores: Christopher Rodrigues Anunciação: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestre em Psicologia Clínica (IP-USP). Professor no curso de psicologia da Universidade Nove de Julho. É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalha em consultório particular e como acompanhante terapêutico. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAICA) e Núcleo de Proteção Jurídica e Apoio Psicológico (NPJ). Autor da dissertação “O trabalho do psicanalista em serviços de acolhimento para crianças e adolescentes: táticas, estratégias e a política do psicanalista na instituição”. Gabriel Bartolomeu: psicanalista, psicólogo (PUC Minas) e mestre em Psicologia Clínica (IP-USP). É co-coordenador do projeto Aprendimentos Clínicos – interlocuções psicanalíticas. Trabalhou em instituições de saúde mental e de assistência social e, atualmente, atende em consultório particular e coordena grupos de estudos sobre a obra de Jacques Lacan. Atua como supervisor em instituições de assistência social e de saúde mental. Tem experiência como psicólogo e psicanalista em núcleo de convivência de idosos, serviço de internação psiquiátrica, hospital-dia, ambulatório de saúde mental e acompanhamento terapêutico. Autor da dissertação “O trabalho do psicanalista na Política de Assistência Social: escuta do sujeito e problematização de discursos e práticas”. Site: www.aprendimentosclinicos.com E-mail: aprendimentosclinicos@gmail.com