Transferência: da resistência à causa do desejo

A transferência, conceito teórico-clínico tão caro à direção de um tratamento analítico, logo no início da obra freudiana, esteve vinculado ao conceito de resistência. Se a transferência pôde ser descoberta, posteriormente, como o motor de uma análise e a resistência é aquilo que se apresenta, desde o princípio, como um obstáculo à continuidade do tratamento, como concebe-las enquanto faces da mesma moeda, conforme posto por Freud? Em outras palavras, como entender por que a transferência surge como a resistência mais poderosa ao tratamento. O fato da transferência não ser tomada mais como obstáculo ao tratamento, como de início, não significa que ela perca sua relação com a resistência. Os

© 2018-2020 | Aprendimentos Clínicos | aprendimentosclinicos@gmail.com | São Paulo - Brasil